Biografia Marcio Werneck

Marcio Werneck da Cunha nasceu no Rio de Janeiro, em junho de 1944. Cursou a Faculdade de Direito na PUC-R.J. de 1963 até 1968. Atuou na área de artes gráficas e fotografia na revista Contacto, através do Centro Acadêmico Eduardo Lustosa. Nessa mesma época, destacou-se na Agência de Publicidade Denison Propaganda S/A, onde foi considerado o “Garoto Prodígio” da propaganda no Rio de Janeiro no período.

Homem da comunicação, fez dessa experiência uma ponte para uma de suas fascinações: a fotografia. A fascinação pela imagem o fez conhecer, como ele mesmo dizia, “a luz ímpar da Região dos Lagos”. Em meados da década de 70, a convite do seu Tio Zequinha, um dos sócios-fundadores do Clube do Canal, apaixona-se por Cabo Frio. Em 1976, foi convidado para realizar a campanha publicitária do candidato José Bonifácio, eleito prefeito de Cabo Frio no mesmo ano. Por consequência do êxito em seu trabalho, exerceu o cargo de Secretário de Turismo, de 1977 a 1980. Sua gestão foi marcada pela realização de campeonatos de surf, exposição de artistas locais e shows de artistas renomados que nunca antes estiveram na cidade. Na ocasião, elaborou um guia turístico inovador, com cerca de cem páginas, que já mostrava o forte interesse de Marcio pela historia, geografia, patrimônio regional. Daí em diante fixou residência em Arraial do Cabo e nos primeiros anos da década de 80 mudou-se definitivamente para Cabo Frio. Em 1989 abriu a empresa UNA Estudos do Patrimônio Cultural, onde atuou por uma década e pode fazer o levantamento cultural, patrimonial e histórico do município de Cabo Frio através da equipe multidisciplinar envolvida. Até hoje esses são considerados um dos mais elogiados e completos trabalhos nesse sentido. Com esse material, o historiador teve rica e fidedigna base para escrever seus livros posteriormente. Em 1992, Márcio Werneck lança seu primeiro livro, “Viagem à Terra do pau-brasil”, em coautoria com o botânico Haroldo Cavalcanti. Em 2002, “Armação dos Búzios”, um livro ilustrativo e turístico. Já seu terceiro livro, “América de Américo”, publicado em 2003, nos 500 anos de descobrimento da cidade de Cabo Frio, é um denso trabalho de estudo, dedicação e análise acadêmica da história local, de 30 anos de pesquisa. Esse livro foi lançado cerca de um mês antes da morte do autor.

De 1993 a 1994 atuou como Subsecretário de Cultura de Cabo Frio. Sua paixão pela nossa terra amada se traduziu na intensa participação na defesa do meio ambiente: foi um dos fundadores da AMARLA (Associação de Meio Ambiente da Região da Lagoa de Araruama) e da Associação de Meio Ambiente de Cabo Frio (AMA Cabo Frio). E ainda o coordenador do registro mais completo até os dias de hoje, do tombamento municipal do conjunto dos sítios ecológicos, arqueológicos e paisagísticos de Cabo Frio. Pelo conjunto da obra, em 1986, Marcio ganhou o título de Cidadão Cabofriense. Em 1980, foi honrado com Moção de Aplauso da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Já em 1989, foi ganhador do Prêmio Golfinho de Ouro, na categoria Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural do Governo do Estado do Rio. Ao longo da sua trajetória, teve ainda a oportunidade de realizar excelentes trabalhos com o amigo Humberto Modiano em Armação dos Búzios; com a empresa Águas Claras Produções Submarinas em Fernando de Noronha; com a empresa Galiotto na Igreja de Sant’Anna em Armação dos Búzios; com a empresa Salineira fazendo o levantamento histórico de 1944 a 1995, e das Salinas Perynas. Filho de Mario Ayres da Cunha, engenheiro, e Helena Maria Werneck da Cunha, professora de francês, Marcio Werneck, irmão único de Helena Maria Werneck da Cunha, falece em 15 de dezembro de 2004, de um câncer fulminante no pulmão. Deixando saudades aos amigos e familiares, principalmente aos três filhos Maria, Ondina e Pedro e a companheira Penha.

“Neste momento eu resolvi estudar e eu sabia que eu tinha que ser igual ou melhor do que os melhores. A verdade é que eu pauto muito minha vida pelos sonhos, sonho é uma coisa fundamental, quando eu deixo de sonhar eu sei que alguma coisa muito errada tá acontecendo comigo.” (Marcio Werneck)