Prédios históricos

A “Roda dos expostos” – Charitas

Casa de caridade Charitas

Em 1979, o ex-Prefeito de Cabo Frio e Presidente do Conselho Municipal de Cultura, Prof. Edilson Lopes Moreira Duarte escreveu um estudo histórico sobre a criação da Charitas, entre 1831 e 1842. O autor registrou que a primeira “roda dos expostos” – espécie de caixa giratória aberta na porta da rua de uma casa, onde se colocavam as crianças rejeitadas por mães pobres e anônimas – foi instalada pela Câmara Municipal na residência de D. Mariana Rosa em 1831, e, cinco anos depois, mudou-se para a de D. Victorina Amália, sendo recolhidos 36 recém-nascidos neste período.

Ordem de Santa Izabel da Caridade de Cabo Frio

A partir da instalação da primeira “roda dos expostos” em Cabo Frio, o Governo Imperial enviou o regulamento que essas instituições deveriam obedecer, cuidando também da nomeação da “matrona” – mulher madura responsável pelo recebimento e tratamento das crianças até atingirem a maioridade – e da reserva de fundo para criação de uma Casa de Caridade.

Em 1834, uma comissão formada pelo Sr. Alexandre Manoel d ‘ Araujo Ponte, Reverendo Joaquim de Santa Catarina Loyola e Major do Imperial Corpo de Engenheiros Henrique Luiz de Niemeyer Bellegard, decidiu criar a Ordem de Santa Izabel da Caridade de Cabo Frio e tratar da fundação da Casa de Caridade.

No ano seguinte, o Major Bellegard apresentou a planta e o orçamento do edifício a seus pares, sendo resolvido que a Irmandade daria dois contos de reis para as obras, cujo valor total previa-se complementar através de subscrição voluntaria entre os habites mais ricos da região.

A pedra fundamental da Charitas foi colocada em 1836 e as obras iniciaram-se em 1837, mas pararam por falta de recursos um ano depois.
Para arrecadar fundos e prosseguir a construção, criou-se a Irmandade da Misericórdia com a assinatura de 26 moradores de Cabo Frio.

Este compromisso foi aprovado pela carta do Regente Pedro d’ Araujo Lima, em nome do Imperador D. Pedro II que recebeu o título de Protetor da Irmandade, em 1838. Com o falecimento do Major Bellegard – Juiz da Irmandade da Misericórdia (e fundador da Charitas) – foi eleito o Dr. José Augusto Gomes de Menezes para ocupar o cargo vago, em 1839.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top