Armação dos Búzios - Geografia I

O resumo do ensaio preliminar sobre os aspectos geográficos dominantes em Armação dos Búzios descreve a localização, a delimitação territorial, a geologia, a geomorfologia, o clima, a oceanografia, a flora e a fauna do município. O território de Armação dos Búzios integra a baixada litorânea fluminense a leste da baía da Guanabara e localiza-se na faixa transitória de inflexão da costa sudeste brasileira. Ocupa uma área estimada em 85 Km2, não possui distritos e a ponta dos Búzios abriga a Cidade de Armação dos Búzios, sede política e administrativa do município, cujas coordenadas geográficas estão entre 22° 45' e 22° 49' de latitude e entre 41° 51' e 41° 57' de longitude. Os limites provisórios com o Município de Cabo Frio têm início no marco do Peró que fica na praia do mesmo nome e está a uma distância de mais ou menos 1.000 metros da ponta das Caravelas; daí segue em linha reta, passando perto do Centro Administrativo de Cabo Frio (exclusive), até alcançar a curva do canal artificial da Fazenda Assumpção (exclusive), e prossegue por essa vala até atingir a linha divisória entre o 1° e o 2° distrito de Cabo Frio (Tamoios), que fica a uma distância de mais ou menos 2.700 metros do marco do Retiro (exclusive); e daí avança por essa linha divisória até o marco dos Gonçalves, situado no Arpoador da Rasa. E os limites provisórios com o Oceano Atlântico têm início no marco dos: Gonçalves, daí segue pela ponta do Pai Vitório, praia Rasa e praia de Manguinhos, para então contornar a ponta dos Búzios, atingir a ponta das Emerências, depois a ponta das Caravelas e chegar afinal ao marco do Peró, na praia do mesmo nome.

Quase toda área litorânea municipal apresenta um relevo bastante recortado e sua petrografia revela o embasamento cristalino brasileiro que se remonta ao período arqueano (mais ou menos 3,5 bilhões de anos). Fortes movimentos posteriores de acomodação da crosta terrestre causaram o afundamento de parte da antiga margem continental e isolaram o atual arquipélago oceânico fronteiro. Sob o ponto de vista geológico, o município integra o chamado "complexo de Cabo Frio" embora revele uma característica exclusiva no território nacional: apenas nele aparece o gnaisse búzios que ocupa a ponta do mesmo nome, e se estende pouco adiante da serra das Emerências, estando bem exposto nas pontas do Boqueirão e da Criminosa tanto quanto nas praias de João Fernandes, Forno e Ferradura. Do alto da serra das Emerências, recoberto por sedimentos terciários, o gnaisse búzios declina suavemente em direção ao vale do rio Una, ao passo que, no rumo sul, cai abruptamente sob a aparência de paredões rochosos. O relevo complementar do município foi resultado dos vários processos formativos que ocorreram em diferentes eras e épocas geológicas. No período cenozóico, há mais ou menos 71 milhões de anos, a reativação de falhas remotíssimas criou uma grande depressão no centro da atual bacia dos rios Una e São João, que passa a convergir o transporte de sedimentos das áreas elevadas ao redor e gera declividades suaves de encosta. Porém, a formação definitiva da planície litorânea junto à baía Formosa conjugou processos de sedimentação continental e de sedimentação marinha - causada por variações de nível do mar. A princípio, sedimentos arenosos - argilosos com concentrações de seixos e blocos foram depositados sob a forma de corrida de lama em rios intercomunicantes, durante condições de clima semi­ árido e nível do mar bem mais baixo. Representam, hoje, toda a área de topografia suave caracterizada pelas colinas no interior do município. Depois, em consequência da posterior subida e seguinte descida do nível do mar, surge um sistema de cristas de praia que delineou a extensa planície arenosa desde o rio São João até a ponta dos Búzios - inclusive com a ligação das elevações outrora ilhadas aos terrenos continentais fronteiros. Entretanto, os rios foram incapazes de se adaptar à mudança do perfil longitudinal e encontraram dificuldade em vencer a barreira arenosa, acarretando no afogamento de grande porção de seus vales e no aparecimento de tremendos pantanais ou de extensos brejais - a exemplo do que existiu junto à embocadura temporária do extinto riacho Trapiche, entre as praias Rasa e de Manguinhos . E, durante o período holoceno, há mais ou menos 12 mil anos, a conjugação de processos de sedimentação marinha resultante das variações de nível do mar e de sedimentação eólica foi responsável pela criação dos campos de dunas nas praias do Peró e de Tucuns.

A presente topografia litorânea de Armação dos Búzios está bem assinalada pelo arquipélago oceânico fronteiro e pela alta serra das Emerências, embora seja muito mais evidenciada pelas elevações da ponta dos Búzios que avançam mar à dentro e separam a planície arenosa a noroeste das falésias rochosas a sudoeste, em cuja circunvizinhança estão mais de duas dezenas de praias - duas delas com campos de dunas e algumas com pequenas lagoas próximas à costa. A configuração dos terrenos interiores se mostra sob o aspecto de numerosas colinas e depressões pantanosas, embrejadas ou colmatadas, além, de se observar o decaimento súbito da serra das Emerências até sua desaparição na altura da praia Gorda.

Os municípios de Armação dos Búzios, Cabo Frio e Arraial do Cabo possuem um micro-clima semi-árido quente, de acordo com a classificação do sistema de Koppen, exclusivo na região sudeste brasileira, apesar de estarem situados numa baixada litorânea tropical úmida, cujas temperaturas máximas e mínimas são bem mais extremas. A temperatura média anual dos três municípios fica em 25º C. A média das máximas alcança 29° C no verão e 24° C no inverno, com máxima absoluta de 36° C. A média das mínimas chega a 22º C no verão e a 19º C no inverno, com mínima absoluta de 12° C. A insolação é bastante alta e corresponde a 2.507 horas/ano, com pique máximo de 210 horas/mês durante o verão. Em decorrência da pouca nebulosidade, a evaporação é também elevada e corresponde a 894mm/ano, com variações de 70 a 80mm/mês. A umidade do ar sempre se mantém acima de 80%, por causa da proximidade do mar e grande exposição aos ventos úmidos. As precipitações pluviométricas atingem 800 mm/ano, com menos de 80mm/mês. A estação chuvosa de outubro-janeiro perde intensidade em fevereiro-março (60mm/mês) e sofre ainda maior redução na estação seca de julho-agosto (40mm/mês). Mas, como a precipitação é inferior à evaporação, os três municípios apresentam balanço hídrico negativo de cerca de l00mm/ano.

A principal variável climática é o sistema de ventos em que prevalece a movimentação de ar do quadrante nordeste, cuja frequência atinge quase 60%, com velocidade média anual de cinco metros por segundo. No verão, o vento nordeste apresenta maior regularidade que diminui durante o outono. Volta a predominar sob a forma de intensas rajadas no inverno e apresenta sua velocidade mais baixa durante a primavera. Seus efeitos fazem com que Armação dos Búzios e os outros dois municípios disponham de continua circulação de ar ao longo do ano, tanto do quadrante nordeste quanto do quadrante sudoeste, cujos ventos impulsionam as massas antárticas desde o sul do continente até o ponto máximo de sua dissipação na altura dos Abrolhos (BA). O rebaixamento da temperatura da água do mar regional - causada pelo intermitente afloramento de uma corrente submarina no entorno da ilha de Cabo Frio - em associação com a passagem do vento nordeste sobre a evaporação dessas massas líquidas frias, constituem um verdadeiro sistema de ar condicionado natural que evita o calor excessivo do verão. E, o rigor do frio fica igualmente afastado porque as massas antárticas não conseguem estacionar muito tempo sobre a região durante o inverno, em função da supremacia absoluta das áreas planas e intensas rajadas do vento nordeste. Portanto, além de conservar uma temperatura amena de janeiro a dezembro, o sistema de ventos favorece a ocorrência de 254 dias de céu azul e de noites estreladas por ano, cerca de duas vezes mais do que o município do Rio de Janeiro e três vezes mais do que Angra dos Reis, ambos à oeste, ou cerca de duas vezes mais do que Casimiro de Abreu e um terço mais do que Macaé ambos a nordeste.